Crise Sentimental!

Além da crise financeira, vivemos uma crise sentimental. Confiança e insegurança estão cada vez mais aliadas, o amor à primeira vista não existe mais, “tudo agora é a prestação”!

Tudo isso porque aprendemos a amar parcelado e nada mais é por inteiro, não confiamos 100%, não nos

respeitamos 100%, não somos 100% fieis e não doamos 100% do que podemos oferecer. Fazemos tudo aos poucos e
parcelado, mas não fazemos isso simplesmente porque queremos, fazemos isso porque talvez não tenhamos condições, ou seja, estamos cada vez mais incapazes de amar por completo, daí a “crise sentimental”!

Assim como na crise financeira que afeta milhões de trabalhadores, na crise sentimental o índice de desemprego entre os “cupidos” sobe consideravelmente, tendo em vista que a matéria prima que eles mais precisam (“corações dispostos a amar”) está  escassa, isso mostra o quanto somos covardes e egoístas, que diante dos fatos preferimos nos blindar e assim deixamos de oferecer aquilo que temos de melhor, o amor ao próximo!

Durante uma crise financeira, por exemplo, temos medo de investir na bolsa de valores e perder tudo no caso de um mau investimento. Na crise sentimental não é diferente e como vivemos tempos difíceis, nos fechamos com medo de perder tudo na “bolsa de amores”, assim encontramos pessoas cada vez mais frias e menos dispostas a arriscarem suas fortunas (sentimentos).

Aos poucos tudo vai se tornando artificial, e viram lendas os amores eternos, as amizades sinceras, e os sentimentos verdadeiros! E se você ainda é capaz de praticar o amor, meus parabéns!… Você ainda faz parte de uma espécie rara, mas em rápido processo de extinção!

Deixe uma resposta